CAp-UFRJ cria site para manter vínculo com comunidade escolar na quarentena

Texto: Coryntho Baldez

O Colégio de Aplicação (CAp) da UFRJ lançou um site interativo para conectar estudantes, familiares, docentes e técnicos durante a pandemia.

O CAp-UFRJ na Quarentena está online desde 20 de abril e funcionará como uma plataforma de partilha das experiências vivenciadas durante o período de confinamento. Mas não substituirá as aulas presenciais.

“O objetivo é estabelecer um espaço de manutenção de vínculo e mútua acolhida diante do isolamento social”, esclarece Anna Thereza, diretora adjunta de Licenciatura, Pesquisa e Extensão do Colégio do CAp-UFRJ.

Nesta entrevista ao Setor de Cultura, Comunicação e Divulgação Científica e Cultural (Secult) da Faculdade de Educação da UFRJ, ela revela ainda que o objetivo mais ambicioso da iniciativa é criar a compreensão de que “a escola se faz junto, que a escola somos todos nós”.

Secult – O CAp lançou recentemente um site interativo para a comunidade escolar. Qual o objetivo dessa ferramenta?

Anna Thereza – É estabelecer um espaço de manutenção de vínculo e mútua acolhida diante do contexto de isolamento social provocado pela pandemia. Igualmente, ele se apresentará como um espaço de possibilidades pedagógicas, entendendo que a escola vai além das disciplinas curriculares e das divisões por segmentos e séries.

Secult – Como funciona o site?

Anna Thereza – Como uma plataforma de partilhas das experiências vivenciadas durante esse período de confinamento, como a saudade da escola e de seus variados agentes, as novas formas de experimentar o tempo, o espaço e a relação com os outros. Diante disso, acrescentam-se os modos de nos perceber e as possibilidades de nos reinventar.

Secult – Que outros conteúdos serão partilhados?

Anna Thereza – Serão partilhadas, igualmente, páginas e materiais que possam ser interessantes para toda a comunidade escolar durante o momento da pandemia. É uma forma de apresentar sites com informações confiáveis e entrevistas que apresentam outras perspectivas possíveis de mundo.

Secult ­ – O site será um meio de manter o vínculo, mas estará também associado, de alguma maneira, ao conteúdo curricular?

Anna Thereza – A partir de proposições realizadas por profissionais da educação do CAp, o site será um convite à interação para toda a comunidade escolar, por meio da partilha sobre o desconhecido e as novas descobertas ao ficar em casa. Será, principalmente, uma forma de nos aproximar diante do isolamento. Sabemos, no entanto, que nem toda a comunidade escolar terá, infelizmente, acesso ao site. Por isso, as proposições não têm um caráter obrigatório, e tampouco estarão associadas às aulas dadas e que se darão futuramente. Seguimos, em paralelo, buscando formas de nos aproximar das famílias que não possuem acesso à internet.

Secult – Qual a expectativa da direção do CAp em relação ao site?

Anna Thereza – Há várias expectativas. Como trabalho interno inicial, temos o exercício de nos ver enquanto totalidade, algo sempre difícil com a fragmentação do ensino por segmentos e séries e por áreas do conhecimento. Assim, uma primeira expectativa é ampliar nossas possibilidades pedagógicas e a nossa potência com o fazer coletivo.  Temos a expectativa de criar um ambiente amplo de aproximação com estudantes e familiares, normalmente limitado à turma e professores que atuam diretamente com os estudantes. Outra expectativa é nos aproximar enquanto corpo de profissionais da educação. Trata-se de um trabalho realizado por professores e técnicos, algo até então pouco experimentado. Mas sendo os maiores objetivos o diálogo e a partilha com as famílias, e estando aberto à mútua troca, creio que a expectativa mais ambiciosa e principal é criar uma compreensão de que a escola se faz junto, que a escola somos todos nós. Veremos.

(Veja o vídeo de lançamento do site)